Inventário, o imposto ICD e a multa.

Após o óbito de uma pessoa, para regularizar a situação dos bens deixados pelo seu falecimento, terá que ser feito um inventário, podendo ser judicial ou extrajudicial (dependendo do caso).  Se o inventário ou arrolamento não for aberto até 60 dias contados a partir da data do óbito, terá que pagar uma multa de 30% (trinta por cento) sobre o valor do imposto.

Muitas pessoas não sabem da existência dessa multa. No nosso escritório informamos aos nossos clientes sobre à referida multa, isso para que não sejam pegos de surpresa. O despachante imobiliário tem o dever de esclarecer os procedimentos de todo processo aos seus clientes.  Damos assessoria em Pernambuco, principalmente na capital Recife.

A documentação, a princípio exigida, é a seguinte:

1- Inicial do processo contendo a relação de bens e herdeiros ou minuta do cartório contendo a partilha dos bens ASSINADA por todos os herdeiros ou procurador (extrajudicial);
2- Cópia da Certidão de Óbito do falecido;
3- Cópia do CPF e RG do falecido;
4-Cópia da Certidão de Casamento do falecido (se casado);
5- Cópia do CPF e RG dos herdeiros, legatários, inventariantes e procuradores;

6- Relação discriminada dos bens móveis e imóveis com valor estimado ou cópia da
Declaração do Imposto de Renda do falecido e esposa (se casado);
7- Comprovante de propriedade dos bens transmitidos;
8- Extratos atualizados de conta-corrente, poupança e aplicações financeiras;
9- Ficha dos imóveis urbanos e ITR dos imóveis rurais;
10- Balanço Patrimonial e Contrato Social com alterações, em caso de transmissão de cotas ou ações de empresas;
11- Outros documentos constantes nos formulários. 

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
INÍCIO
Open chat
Precisa de ajuda?
Olá, podemos te ajudar?