Procuração para compra de imóveis.

Procuração para compra de imóveis em Recife, Olinda - PE.

Pessoas buscam seu primeiro imóvel para comprar, seja para residir ou para trabalhar. A maioria faz um grande esforço para juntar dinheiro ou financiar a compra através de financiamento bancário, porém, não é fácil, os custos são altos.

Além do pagamento do valor do imóvel, existem outros custos, a saber: ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis), laudêmio, se for o caso, despesas cartorárias, taxas…

Mais precisamente na compra de imóveis à vista, ou financiado através de plano direto com o vendedor, posteriormente irá precisar de fazer a escritura definitiva de compra e venda, para depois poder providenciar o respectivo registro no cartório de registro de imóveis.

Acontece que muitas pessoas, ao quitar o pagamento do imóvel, não tem dinheiro suficiente para pagar as despesas com escritura e registro. Qual a solução mais prática? Uma procuração!

Existem alguns tipos de procurações específicas: procuração em causa própria, procuração “simples”para um terceiro representar o vendedor na hora de assinar escritura, e a procuração “consigo mesmo”. Todas terão que ser por instrumento público, ou seja, feita em um cartório de notas; com exceção aos imóveis cujo o valor não ultrapassem 30 salários mínimos.

A procuração em causa própria, na prática, é tratada como a própria alienação do imóvel, pois ela não se extingue com a morte do mandante, não poderá ser revogada e é outorgada em benefício do mandatário.

A procuração “consigo mesmo” é uma forma para o outorgado assinar a escritura do imóvel para seu próprio nome, ou seja, sem precisar da assinatura de outra pessoa que represente o vendedor, porém ela se extingue com a morte do mandante, e também pode ser revogada.

Para a procuração consigo mesmo, que na verdade é um negócio jurídico consigo mesmo, tal procuração, para ter validade, terá que conter explicitamente autorização do mandante.

C.C, Art. 117. Salvo se o permitir a lei ou o representado, é anulável o negócio jurídico que o representante, no seu interesse ou por conta de outrem, celebrar consigo mesmo.

Se esse for o seu caso, então procure seu despachante em documentação de imóveis, ou melhor, despachante imobiliário, para que possa dar assessoria nos procedimentos.

O ideal será fazer de imediato a sua escritura no cartório de notas, para depois registrá-la. Dessa forma você terá a propriedade plena do imóvel, sem que haja alguma pendência futura.

E se o vendedor for casado, será necessário a assinatura do cônjuge na escritura?

A princípio sim. Se casados sob o regime da separação de bens com pacto antenupcial após 10/01/2003, não haverá necessidade da outorga marital.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
INÍCIO
Open chat
Precisa de ajuda?
Olá, podemos te ajudar?